sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Das mulheres jovens e velhas

O homem verdadeiramente homem quer duas coisas: perigo e fogo. Por isso quer a mulher que é o brinquedo mais perigoso.
O homem deve ser educado para a guerra e a mulher para prazer do guerreiro. Todo o resto é loucura.
O guerreiro não gosta de frutos doces demais. Por isso ama a mulher: A mulher mais doce é sempre amarga.
A mulher, melhor que o homem, compreende as crianças, mas o homem é mais criança que a mulher.
Em todo o verdadeiro homem se oculta uma criança, uma criança que quer brincar. Vamos lá, mulheres! Procurai descobrir a criança no homem!
Que a mulher seja um brinquedo puro e refinado como o diamante, em que cintilem as virtudes de um mundo que ainda não existe!
Cintile em vosso amor o fulgor de uma estrela! Que vossa esperança diga: “Que seja a mãe do super-homem!”.
Haja valentia em vosso amor! Com a arma de vosso amor deveis espantar aquele que vos inspire medo.
Que vossa honra subsista em vosso amor! Geralmente a mulher pouco entende de honra. Que vossa honra seja amar mais do que fordes amadas e nunca ficar em segundo lugar.
Que o homem tenha medo da mulher quando a mulher ama porque ela não recuará diante de nenhum sacrifício e tudo o mais para ela não tem valor.
Que o homem tenha medo da mulher quando a mulher odeia porque o homem, no fundo de sua alma, é malvado. Mas a mulher, no fundo da sua, é perversa.
A quem a mulher odeia mais? O ferro assim dizia ao imã: “Odeio-te mais do que qualquer outra coisa porque atrais, mas não tens força suficiente para me sujeitar”.
A felicidade do homem se chama “Eu quero”. A felicidade da mulher se chama “Ele quer”.
“Eis que o mundo acaba de se tornar perfeito!” – assim pensa toda mulher quando obedece de todo coração.
E é preciso que a mulher obedeça e que encontre uma profundidade para sua superficialidade. A alma da mulher é superficial: uma película de tempestade sobre águas rasas.
Mas a alma do homem é profunda, sua corrente brame em grutas subterrâneas. A mulher pressente a força masculina, mas não a compreende.

Assim Falava Zaratustra - Nietzsche

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

NÃO CHEGO AOS PÉS DELA



O pé de Katy é tão lindo que eu poderia colocar a aliança em seu dedo.

Deveria ter uma aliança para a mão e outra para seu pé.

Um desperdício de beleza não desposar seus pés também. Não andar de pés dados no Parque da Redenção, na Usina do Gasômetro.

Não é um pé simplesmente para a cama, mas é um pé de compromisso, feito para o altar.

Seu pé é perfeito, pequeno, os dedos simétricos, firmes, atraentes.

Não aquele pé que tem um dedão apontando para a rua enquanto os outros apontam para o mar.

Não aquele joanete imprevisível, neurótico, que confunde a direção do destino.

É um pé sem bicos de papagaio, que nunca morde, que jamais machuca. Um pé que não matará baratas, porque só serve para abrir espaço ao espanto dos pássaros. Os nervos conversam e se entendem, as veias estão tomando sol debaixo do guarda-sol da pele e nem aparecem.

O homem se apaixona pelas mãos, mas somente casa depois de ver os pés.

Os pés são a âncora do casamento. Os pés são o voto de minerva. Os pés são o último conselho.

Não precisa ser podólatra para isso. Não sou de chupar os dedos do pé, lamber, me perder entre as frestas. Nenhuma taradice, tenho apenas uma admiração enamorada, normal entre os homens.

Deixa explicar. Seu pé tem as unhas pintadas em fileira indiana, é um buquê, uma procissão organizada de rosas a Iemanjá. Nada fora do lugar, nada torto e truncado.

Um pé que cria vontade de se embalar na rede, de levantar as pernas no impulso do balanço. Um pé que é melhor do que um lençol de 800 fios. Macio, sestroso.

Considero, inclusive, um crime que minha mulher pague a diferença entre pedicure e manicure, o preço merecia ser único, de mãos.

Ela, na verdade, tem quatro mãos, vive no ar, flutuando, levitando. Anda pelos ares, pelos ventos de meus olhos.

Quando ele roça meu pé, a sensação é que me beija – me beija na boca.

Meu grande problema é que Katy trabalha de Havaianas numa loja carioca. Não suporto a dor de cotovelo.

Sofro toda vez que ela sai de casa. Todos podem enxergar sua exuberância – não é justo.

Meu amor é cristão. Meu ciúme é muçulmano.

Além da aliança, deveria existir véu para os pés.


(De Fabrício Carpinejar)




sábado, 14 de setembro de 2013

Me Leve a Sério

Leve-me, leve-me, leve- me
Leve-me, leve-me, leve- me

Não me leve a mal
Mas me leve ao fim
Dessa onda louca que você deixou em mim

Vou reconhecer
Eu nem tava afim
Mas te conhecer mudou tudo por onde eu vim

E me leve a sério
E me leve enfim
Hoje levo o filho que você deixou em mim

Só nos leve em ti
Te levamos nós
Pelo vasto império que de um beijo seu, se faz

Leve-me, leve-me, leve- me
No mais secreto desejo, leve-me
Leve-me, leve-me, leve
Por tantas noites sem fim
Por que eu te levo em mim

Eu sei que busca o amor em tantos alguens
Desse vazio, já entendo bem
Mas sua eterna busca, um dia tem fim
Quando olhar bem fundo no seu fetiche,
Talvez encontre a mim

Leve-me, leve-me, leve- me
No mais secreto desejo, leve-me
Leve-me, leve-me, leve
Por tantas noites sem fim
Por que eu te levo em mim

Leve-me, leve-me, leve- me
Pela lembrança de um beijo, leve-me
Leve-me, leve-me, leve
Em outras camas por fim
Por que eu te levo em mim

(Me Leve a Sério - Jorge Vercillo)




segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Eu, Dommenique - Entre, Feche a Porta e Deixe-se Dominar...



Eu estava lá no sofá jogada com aquela cara passada de quem chega em casa numa sexta-feira depois de uma semana inteira de trabalho, trânsito e irritação.
Ela abriu a porta, não pediu licença nem bateu. Subiu as escadas sacudindo aquela cabeleira loira e se apoderou do sofá a minha frente. Com toda sua postura, pose e olhar de “Deusa incorporada” começou a me contar tudo sobre sua história. Como é ser uma Domme profissional, como são os escravos, a rotina, as dúvidas e os prazeres desta profissão.

Foi exatamente isso que senti durante toda a leitura. Um desabafo intimo de uma Deusa.
É muito interessante para uma submissa entender um pouco do que se passa na cabeça de uma pessoa extremamente dominadora e sádica.
E ela faz tudo parecer muito natural, nasceu com esse poderio e não teria mesmo como fugir disso. É seu papel, seu destino e executado com toda sabedoria, grandeza e elegância.

E o que falar dessa mulher? Gente! É linda, linda, impossível passar desapercebida. Sei que existem muitas mulheres tão lindas quanto mas sem uma essência, ou mulheres que são pura essência mas nem sempre tem uma beleza tão aparente... mas ela tem as duas coisas! Como poderia nascer para um trabalho comum, uma rotina comum dessas que a sociedade acha correta. IMPOSSÍVEL!  Ela tinha que brilhar mesmo e chegar Causando.

É uma mulher que não nasceu. ACONTECEU!

Deixo aqui registrada minha indicação deste livro que amei ler, indicadíssimo para quem quer entender um pouco sobre a personalidade de uma dominadora, sádica - e narcisista – Desculpa Senhora Dommenique pela insolência, não tenho nada contra, muito pelo contrario rsrs.

Meus parabéns Senhora Dommenique por toda sua caminhada brilhante e poderosa. Ganhou uma admiradora.


Autor: Luxor, Dommenique
Editora: Leya Brasil



http://dommeniqueluxor.blogspot.com.br/


http://vimeo.com/71214995


terça-feira, 6 de agosto de 2013

Guardian






"Eu serei sua defensora por toda a vida, como sua guardiã
Eu serei sua guerreira protetora, sua primeira direção
Eu serei o seu anjo de plantão, eu estarei sempre alerta
A maior de todas as honras, ser como sua guardiã"


segunda-feira, 5 de agosto de 2013

:.klara, minha amiga. - Despedida.:


Despedidas não podem ser tristes. Podemos pensar nas despedidas como uma porta que esta se abrindo para outro espaço no tempo.

Se um amigo se vai podemos  pensar que esta abrindo espaço para um novo. E é assim que quero pensar.

klara foi uma amiga daquelas que aparecem em primeiro lugar nos nossos pensamentos. Aquela amiga que nos conhece tanto que sabe até que caminho devemos seguir.

Aquela amiga que nos ilumina mesmo dizendo que não sabe o que dizer.

E neste mundo, aonde cheguei a pouco, fui muito bem recebida por ela. E essa amiga me fez ver a beleza que existe no amor à submissão.

 Essa amiga esta me deixando agora, mas sei que os capítulos que escrevemos com essa amizade vão ficar guardados para sempre. Pra que eu possa ler e reler sempre que precisar de um ombro ou um colo.

 Essa amiga esta partindo, creio eu, por não ter mais para onde crescer. Não ter mais o que superar... Chegou a um estágio de uma força e grandeza tamanha que atingiu a perfeição.

E por isso não me despeço com tristeza. Despeço-me com a certeza de que agora minha amiga esta num plano onde a felicidade é plena, não existe angustia, medo, incerteza ou fraqueza.

Minha bela amiga esta agora pura, em sua total certeza de que esta completa. Completou-se e desapareceu.

Atingiu outra atmosfera, aonde nada mais vai atingi-la. Onde ela estiver estará sempre cercada de beleza, de felicidade e calma.

Temos a certeza de que seu período aqui no nosso meio, no nosso mundinho, serviu para orientar tantas outras belas submissas que acaba deixando um pontinho de Luz dentro de cada uma delas. Uma sementinha que sempre vai florear com rosas vermelhas, lindas e radiantes como foi essa minha amiga.

Minha cúmplice, minha guia, minha Luz e orientação.

Minha mesmo com cada letra dessa palavra M.I.N.H.A pois sei que como foi para mim não será para mais ninguém. Sei que as emoções e vibrações que trocamos, nós nunca seriamos capazes de trocar de nenhuma outra forma.

Essa katy sempre vai carregar no coração essa sementinha de rosa vermelha, e sempre a história da mais bela submissa, mais completa e mais plena em sua submissão apaixonada e espirituosa.

Que minha amiga jamais seja esquecida, e que os capítulos dessa história sempre sirva de exemplo para as que virão. E que essa minha amiga esteja agora em paz no seu jardim secreto.





sexta-feira, 26 de julho de 2013

O Primeiro Jornal

Quero cantar pra você 
Segunda-feira de manhã 
Pelo seu rádio de pilha tão docemente 
E te ajudar a encarar esse dia mais facilmente 
Quero juntar minha voz matinal 
Aos restos dos sons noturnos 
E aos cheiros domingueiros que ainda boiam 
Na casa e em você 
Para que junto com o café e o pão se dê 
O milagre de ouvir latir o coração 
Ou quem sabe algum projeto, uma lembrança 
Uma saudade à toa 
Venha nascendo com o dia numa boa 
E estar com você na primeira brasa do cigarro 
No primeiro jorro da torneira 
Nos primeiros aprontos de um guerreiro de manhã 
Para que saias com alguma alegria bem normal 
Que dure pelo menos até você comprar e ler
O primeiro jornal

Elis Regina


quarta-feira, 24 de julho de 2013

De volta pro aconchego

Estou de volta pro meu aconchego
Trazendo na mala bastante saudade
Querendo um sorriso sincero
Um abraço para aliviar meu cansaço
E toda essa minha vontade

Que bom poder estar contigo de novo
Roçando teu corpo e beijando você
Pra mim tu és a estrela mais linda
Teus olhos me prendem, fascinam
A paz que eu gosto de ter.

É duro ficar sem você vez em quando,
Parece que falta um pedaço de mim.
Me alegro na hora de regressar,
Parece que vou mergulhar na felicidade sem fim

Dominguinhos (12/02/41 - 23/07/13)









terça-feira, 23 de julho de 2013

FESTA 24/7 DOMINNA- Primeira vez no Dominna

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa dizer do meu amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
(Soneto da Fidelidade - Vinicius de Moraes)


Comecei o texto sobre a festa com este poema lindo porque dias antes estava procurando algum poema para meu Dono e me emocionei ao achar este soneto.

Às vezes passamos por textos e musicas sem reparar, e chega um dia em que faz sentido. E este soneto pode sim ser a descrição da submissão em sua forma mais plena e bela. E foi justamente este o soneto usado por Andy Arádia para descrever de forma encantadora, engraçada e sutil uma relação de entrega e submissão. Uma das palestrantes da tarde. Que relatou todas as dificuldades e belezas de uma relação 24/7 com propriedade de quem vive a 10 anos uma relação Goreana.

Vi também a palestra do Motorista que abordou de forma simples e direta a segurança no BDSM. Muito boa a palestra, e também tivemos a oportunidade de conhecer alguns de seus instrumentos, fabricados com todo o conhecimento de quem tem o prazer de usá-los.

A palestra de Mestre K@, que sou suspeita para descrever, mas que me emocionou por seus relatos sobre a submissão, com sua forma cuidadosa e inteligente de ver o Reino e nos mostrar que existe sim um bom motivo para estes 10 anos prazerosos de um harém. Bem vividos, respeitados e mágicos.

Acompanhei também a palestra, show, melhor show, palestra seria pouco, de Jorge Leite Jr. Falando sobre a história e conceito do Sadomasoquismo. MAGNIFICO tem que entrar para a lista de 10 coisas que precisamos escutar nessa vida BDSM.

Não consegui escutar todas as palestras, mas tenho certeza de que todas foram muito boas, cada uma de uma forma e com sua abordagem. Parabéns aos organizadores que souberam fazer a seleção de forma brilhante. Agradeço também a simpatia de Narcisa que me recebeu amavelmente logo que entrei.

 O evento foi realizado no Café Concerto Uranus, uma casa muito aconchegante com o clima certo, todo especial. Tive o prazer de desfrutar das melhores companhias que poderia ter. Minha amiga, minha guia minha luz klara de k@, amiga com quem já chorei as dores e já sorri as vitórias. Acho que quando olhei para o lado e vi uma linda moça de vestido vermelho passou um filme na minha cabeça de todas as nossas conversas, tudo que passamos virtualmente juntas. Tantas emoções, tantas situações e sempre sabemos que podemos contar uma com a outra. E o que foi poder abraçar essa minha amiga. Não poderia ser melhor. Gostaria que existisse uma forma de medir essa vibração, essa energia que seria capaz de mover mares e montanhas.
E por Mestre K@ também uma simpatia, uma pessoa maravilhosa e encantada como eu já imaginava que fosse. Passei uma noite muito agradável e também tive o prazer de conhecer e rir junto com Ametista, muito linda e divertida, adorei conhecê-la.

Vi na cena apresentada por Lord Bondage uma prova do que é se entregar. O que é abrir mão de sua autonomia, deixar sua vida nas mãos de alguém que você tem a certeza de que sabe o que fazer. Fiquei emocionada mais uma vez. Além da beleza do Bondage, fica à mostra toda confiança e cumplicidade que existe numa relação como esta e que, afirmo, não existe maior.

 Vi duas cenas com o Master Christian Sword of GOR que mostraram claramente o encantamento de suas subs por ele, e o prazer que tem em servi-lo. Tudo isso vi olhando para as pessoas, observando, só isso. Acho que se tivessem subido ao palco e no microfone falassem por horas sobre o sentimento que tinham por ele não ficaria tão explicito.

 Levo de brinde todas as histórias, as experiências que compartilhamos as risadas inúmeras e uma coisa que nunca vai sair de mim, os olhares.

Olhares de subs para seus Donos, de Donos e Dommes para seus subs. QUE BRILHO, que carinho, que respeito. Era um salão infestado de amor.


quinta-feira, 18 de julho de 2013

I'll be there ..::Clube Dominna::..


FESTA!FESTA!FESTA!


Não existe possibilidade desta reunião ser menos do que maravilhosa:





Sobre o Encontro do Dia Internacional do BDSM
Há 10 edições, o CLUBE DOMINNA, reuni os maiores nomes de diversas áreas e práticas fetichistas para partilhar seus conhecimentos com o público e comunidade presentes, por meio de palestras, mesas de debates, oficinas, exposições, performances e trabalhos de temas de interesse de todos, para conhecimento ou aprimoramento de técnicas. São psicólogos, antropólogos, cientistas sociais, professores, escritores, praticantes, pesquisadores... com uma coisa em comum: AMOR PELO BDSM.

Nesta edição, serão 19 horas de festa (do meio-dia do dia 20, às 07 da manhã do dia 21h) nas quais os convidados poderão entrar e sair e fazer sua própria agenda.
Do meio-dia às 15:30, será o almoço, recepção e confraternização entre os presentes. Das 14h às 22h, serão dedicadas às palestras, mesas e workshops. Das 22h em diante, será iniciada a Festa, com DJs, performances, cenas e shows temáticos. A pista de dança e o bar estarão abertos a quem quiser durante todo o evento.
Será uma festa maravilhosa!

O Café Concerto Uranus, casa que irá receber essa grande celebração do CLUBE DOMINNA, é um amplo e lindíssimo espaço, especialmente pensado para um público especial. Não poderíamos ter escolhido lugar melhor! Confira todo o requinte que N/nos aguarda em http://www.cafeuranus.com.br/ .
Conta com pista de dança, bar refinado, palco belíssimo para performances, mezaninos, sofás, fonte em cascata, linda decoração e ótimo atendimento. Será um dia inesquecível!


Para receber a programação, tirar dúvidas, colocar nomes na lista, dar sugestões ou qualquer outra demanda relacionada à festa, escreva para: narcisa@clubedominna.com.br 


segunda-feira, 8 de julho de 2013

O Vale das Bonecas

Valley of the Dolls -  Jacqueline Susann



Acabei de ler este livro há alguns dias e posso dizer que poucas obras me fizeram ficar tão estupefata quanto esta.

Estupefata mesmo, atônita, entorpecida como diz no dicionário.

 

Trata-se da história e relacionamentos de 3 três lindas garotas. Cada uma com sua personalidade, suas crenças e sua bagagem.


Três jovens mulheres aspirando à uma carreira bem sucedida encontram-se em Nova York. Neely O'Hara é uma garota de talento que canta num musical da Broadway onde a grande estrela é a legendária Helen Lawson; Jennifer North é uma atriz de grande beleza e talento limitado, que atua no coro do musical; Anne Welles é uma ingênua do interior que chegou recentemente à cidade e trabalha para a agência que representa Lawson.

Neely, Jennifer e Anne tornam-se amigas rapidamente, compartilhando os laços de ambição profissional e a tendência de se apaixonar pelos homens errados.


O único ponto que talvez tenham em comum são os desfechos desastrosos em suas relações amorosas.

Minha mentora Srta. Carrie me disse para analisar as escolhas e o resultado de cada relação.

Uma totalmente impulsiva, outra que tem como ponto forte e marcante sua sensualidade e a terceira mais recatada e segura. Acontece que mesmo cada uma tendo suas características e sua personalidade, acabam se deixando levar e perdendo a razão ao se relacionar.

Acho que é assim... que toda nossa razão, conhecimento, inteligência se vão ao chão quando nos deixamos envolver pela paixão. A partir daí é uma guerra interna constante. Uma crise de porquês e como-s... Não importa o caminho porque estamos focados no resultado. No que queremos. E não importa o como. Não importa se nos fará bem ou não. Se é o que precisamos ou não. Porque é o que queremos...

Não importa se passamos por cima das crenças, ideais, metas, culturas... o que importa é correr “abestadamente” até aquele ponto que consegue brilhar mais do que qualquer outro. Como aquelas moscas que ficam batendo na janela...

 

O livro é muito bom mesmo, impressionante. É importante analisarmos como o valor de tudo esta dentro de cada um.

Se conseguir encontrar a paz interior saberá lidar com as interferências externas. Sem que algo o tire do eixo.

Aceite que as pessoas não são como quer que seja. Que é impossível julgar os atos, que é impossível prever as atitudes e as reações de outras pessoas.

Aceite que cada um traz sua carga e que ninguém nunca será igual a este ou aquele. Ninguém pode ser comparado e nem previsível.

 






Beijos, saudades !
















pessoa


sexta-feira, 14 de junho de 2013

Angel of the House

Meus estudos sobre submissão me levaram a um novo termo e gostei bastante dos resultados de minha pesquisa.
A "angel of the house" tem sua devoção e prazer em zelar por sua casa e família, sempre colocando acima de tudo o bem estar dos demais, sendo sempre submissa a seu esposo e dedicada a seus filhos.
O termo surgiu de um poema de  Coventry Patmore publicado em 1954 e que ganhou visibilidade no período vitoriano. Partmore o escreveu pensando em sua esposa Emily,  para ele sempre a mulher perfeita. Muuuuuito criticado, reiteradamente, por trazer a submissão da esposa e sua abnegação como a base principal para o sucesso e felicidade do relacionamento.


A meu ver...

Não posso criticar ou questionar este comportamento. Penso que o prazer de uma mulher pode sim estar em manter aqueles que ama sempre protegidos, sob seu olhar atento e em total bem-estar. A abnegação, neste caso, não faz com que a mulher se esqueça de si própria ou se desvalorize, ao contrário, agradar a seu marido também abrange seus cuidados a si mesma Estética e Psicologicamente falando. Não se pode fazer com que seu parceiro esteja bem, feliz e completo se não estiver plenamente bem consigo. Esperar por seu companheiro sendo, para ele, seu lugar de maior conforto e plenitude.

¨Eu pergunto como o Príncipe Albert reagiria se não encontrasse sua esposa ao chegar em casa cansado querendo alguém para alegrá-lo;
e depois ela chegar também cansada e faminta; e nunca encontrá-la
em casa para supervisionar a limpeza dá casa e manter a lareira sempre acesa. Sem falar de ter sempre suas refeições sem sabor e sem conforto. Aposto que ele, mesmo sendo príncipe, se fosse servido dessa forma, ia terminar numa casa de bebidas ou algo parecido. (Gaskell, 1964:p113)

Engraçado as pessoas criticarem este tipo de prazer... Não estão fazendo absolutamente nada de ruim, não fazem o mal a outras pessoas... Mas se perde muito tempo tentando julgar a forma com que cada um passa seu tempo e vive sua vida e pouco se gasta de vontade e atitude em se fazer o bem. Vamos criticar então uma pessoa que sente prazer e ocupa seu tempo em fazer com que sua casa e sua família esteja em paz, conforto e harmonia?! Ai ai... tanta coisa pra se discutir.

Gostei sim do conceito de Angel of the house, e é meu novo objeto de estudos.
Quero agradecer imensamente minha amiga e mentora Carrie pela ajuda, tradução e orientação nas pesquisas e estudos, bem como as sessões de gtalk-terapias que me ajudam todos os dias.


O Anjo da Casa -  Coventry Patmore

“O homem deve ser agradado, mas em agradá-lo deve consistir o prazer da mulher - da cabeça aos pés 
De suas dolorosas necessidades ela faz seu melhor - deixando a si própria em segundo plano
Frequentemente, ela se deixa em suspenso sem razão e deixa seu coração em uma geleira ou tempestade por uma simples palavra impaciente
que depois evoca fúria, não dela, mas dele 
Enquanto ela, muito doce, delicada demais para despertar o remorso dele através de suas respostas gentis
Espera ao seu lado, esperando pelo arrependimento dele já com o perdão em seus olhos cheios de pena 
E se ele, por sua vez, oprimido pela vergonha
Disser-lhe uma palavra de conforto
Ela se curva sobre seu peito e chora, como se dela fosse a culpa 
Se outros olhos notarem seu charme, ela é ainda a esposa dele
tão caramente devotada a seus braços 
Ela o ama com amor que jamais se cansa
E quando, ah, destino, ela ama só 
Através de uma obrigação passional o amor floresce ainda mais forte 
como a grama cresce mais alta ao redor de uma pedra. “

(Traduzido por Carrie Morales)


Man must be pleased; but him to please
Is woman's pleasure; down the gulf
Of his condoled necessities
She casts her best, she flings herself.
How often flings for nought, and yokes
Her heart to an icicle or whim,
Whose each impatient word provokes
Another, not from her, but him;
While she, too gentle even to force
His penitence by kind replies,
Waits by, expecting his remorse,
With pardon in her pitying eyes;
And if he once, by shame oppress'd,
A comfortable word confers,
She leans and weeps against his breast,
And seems to think the sin was hers;
Or any eye to see her charms,
At any time, she's still his wife,
Dearly devoted to his arms;
She loves with love that cannot tire;
And when, ah woe, she loves alone,
Through passionate duty love springs higher,
As grass grows taller round a stone.


sexta-feira, 31 de maio de 2013

The Best Thing About Me Is You

Músicas que dão vontade de sair dançando e pulando e cantando !!!!!



The Best Thing About Me Is You

Da da did did... did da da da
Da da did did... did da da da
Da da did did... did da da da
I'm as happy as I can be
Cause I'm allergic to tragedy
The doctor says something's wrong with me
The smile on my face has no remedy
[Chorus]
So baby, Don't say no
Come on..and just say yes
You know it's time to keep it simple
Let's take a chance and hope for the best
Life is short so make it what you wanna
Make it good, don't wait until mañana
I think I'm cool cause your name's on this heart shaped tattoo, now
The best thing about me is you
My cryin' days are now history
I had a change of philosophy
I take each day as it comes to me
And I won't take myself all that seriously..so
[Chorus]
So, baby don't say no!
Come on and just say yes!
You know it's time to keep it simple,
Let's take a chance and hope for the best!
Life is short, so make it what you wanna,
Make it good, don't wait until mañana!
I think I'm cool cause your name's on this heart shaped tattoo,
Now, the best thing about me is you!
It's you...
Now the best thing
The best thing...
It's true..wooo..oo
Take off your shoes, lay back, and take a load off
Give me your blues, let me love it away
Nothing to lose, so don't act like such a grown up
Stay out all night in the moonlight with me
(Just say yes)
Come on... and just say yes
You know it's time to keep it simple
Let's take a chance and hope for the best
Life is short, so make it what you wanna,
Make it good, don't wait until mañana!
I think I'm cool cause your name's on this heart shaped tattoo
Now the best thing about me is you..wo..ooo
Is you wooo
Now the best thing about me is you
And the best thing about me is you
Best thing about me is you
The best thing about me is you



A melhor coisa em mim é você

Da da did did... did da da daDa da did did... did da da daDa da did did... did da da da
Estou sempre o mais feliz que posso estarPois sou alérgico à tragédiaO médico diz que tem algo errado comigoO sorriso no meu rosto não tem remédio
(Refrão)Então, baby, não diga nãoVamos lá... e apenas diga simVocê sabe que é hora de deixar a coisa mais simplesVamos nos arriscar e esperar pelo melhorA vida é curta, então faça dela o que você quiserFaça o melhor, não espere até amanhãAcho que estou tranquilo pois seu nome está na tattoo de coraçãoAgora a melhor coisa em mim é você
Meus dias de choro agora são passadoMudei de filosofiaVivo cada dia conforme eles vão aparecendoE não vou me levar muito a sério... então
(Refrão)Então, baby, não diga nãoVamos lá... diga simVocê sabe que é hora de deixar a coisa mais simplesVamos nos arriscar e esperar pelo melhorA vida é curta, então faça dela o que você quiserFaça o melhor, não espere até amanhãAcho que estou tranquilo pois seu nome está na tattoo de coraçãoAgora a melhor coisa em mim é você
É você...Agora a melhor coisaA melhor coisa...É verdade... uhh
Tire seus sapatos, relaxe, tire esse fardoMe passe as suas tristezas, deixe-me te amar até você esquecê-lasNão há nada a perder, então não aja tão como adulto
Apenas saia e fique admirando o luar comigo(Apenas diga sim)Vamos lá... apenas diga simVocê sabe que é hora de deixar a coisa simplesVamos nos arriscar e esperar pelo melhorA vida é curta, então faça dela o que você quiserFaça o melhor, não espere até amanhã!Acho que estou tranquilo pois seu nome está na tattoo de coraçãoAgora a melhor coisa em mim é você.. uuhhhhE você uuuhh
Agora a melhor coisa em mim é vocêE a melhor coisa em mim é vocêMelhor coisa em mim é vocêAgora a melhor coisa em mim é você




1000 kisses deep!!     *o*


segunda-feira, 27 de maio de 2013

Reino de K@ - 10° Aniversário




Como é de praxe nos meus textos, deixo claro que representa unicamente a minha visão. Sem medir palavras ou falar o que esperam ouvir para agradar a um ou a outro, sem pretensão de ser vista como certa ou errada. Apenas euzinha.
Estudo o BDSM há um ano, e sempre busco o maior número de informações possíveis para comparar, criticar e analisar.
Nestas minhas inúmeras pesquisar acompanho o site e blog do Reino de K@, e o que me impressiona desde o início é a forma limpa e clara como Ele conduz seu Reino. Vejo um Dono que consegue não somente se realizar, mas conduzir suas submissas a realização própria. 
Percebe-se em todas as suas citações e textos a preocupação, carinho e atenções dele para com as suas submissas. Cada dedicatória, cada palavra... Todos os textos que me emocionam e fazem pensar – O que é para uma submissa receber declarações como esta de seu Dono?qual o tamanho desse prazer, dessa realização?
Muitos ainda acreditam que a dominação depende de hostilidade, imposições ou coações, e vendo os textos do Mestre K@, vemos que a entrega e amor incondicional dependem sim de disciplina, mas de uma disciplina que tem como base o reconhecimento, o amor, o estudo e o carinho. E o quanto nos ensina este site... E quanto nos emociona e nos faz viajar por este Reino... E quantas subs já não abriram o link para seleção de escravas e pensaram em tudo isso (eu pelo menos umas 3 vezes !!)
Tenho um enorme sentimento de respeito para com todas as suas submissas, e em especial a este Mestre que, no mínimo, é iluminado. Ninguém conseguiria conduzir de uma forma tão bela se não tivesse uma luz própria fora do comum.

Essencial:    http://www.reinodeka.com/




Este ano o Reino de K@ comemora seu 10° aniversário, o que é mais uma prova de que é conduzido de forma limpa e sincera. Nenhuma construção dura muito tempo se não for firmada em bases muito sólidas.
Deixo aqui meus sinceros parabéns, de coração, ao Mestre K@, a cada uma de suas submissas. As que o seguiram e/ou que os seguem e até mesmo as que seguirão.
Tive a honrosa oportunidade de fazer algumas perguntas ao Mestre K@. E me sinto muito grata por isso.

Mestre K@, muito obrigada por aceitar responder minhas perguntinhas! Não repare no conteúdo simples. São curiosidades minhas, sei que de outros também. E são perguntas que me passaram pela cabeça nas vezes em que li textos Seus e de suas submissas. Pode mudar, virar, torcer e fazer o que quiser com as perguntas. Não temos prazos, censuras e nem limite de caracteres.


 O tempo – 
As atividades, tarefas e a cumplicidade que deve ser criada com suas submissas devem exigir muito de seu tempo. Criou algum tipo de rotina para conseguir atender a todas ou conseguir que todas Te atendam? Como se organiza?
Sim criei.. rsss!!!  Acordo, dou uma olhadinha rápida em como estão as coisas no Reino, vou ao trabalho, volto e fico o restante do meu tempo todo por conta do BDSM. Respondo e-mails, crio conteúdo para o site, converso, quase que diariamente, com todas as minhas escravas e claro penso nas maldades que vou submeter aos pezinhos das minhas mocinhas. 

A submissa
Com certeza há diferenças relevantes entre todas as submissas que já passaram por seu Reino. Mas sempre existe um ponto de equilíbrio, uma característica em comum ou aquilo que todas têm ou devem ter para conseguir se entregar plenamente... Qual seria o ponto de equilíbrio na personalidade de suas submissas?
Sem dúvida nenhuma o desejo e a determinação de viver a sua submissão. O querer!
Minha fantasia não é das mais fáceis, existem dois pontos muito delicados: primeiro gira em torno de várias mulheres servindo a um homem, e é natural que nesta hora questões como ter que lidar com o ciúmes são inevitáveis; o segundo está relacionado à hierarquia que existe entre as escravas do Reino, onde algumas têm regalias que outras não têm. O saber lidar com esta diferença é algo que pega muito para as escravas.
Toda vez que começo a conversar com uma submissa, ainda por telefone, sinto o embargar da voz em alguns momentos, quando eu vou explicando mais sobre mim e sobre minha fantasia, mas ao mesmo tempo aquelas que se tornam minhas, vão buscando forças e, por mais difícil que a situação possa parecer, elas continuam determinadas a seguir a adiante. Isto simplesmente me fascina!  Perceber o desejo de ir além e sair do lugar comum.


Harmonia – o equilíbrio entre sentimento e a razão.
Imagino o quão difícil deve ser manter esta harmonia entre mulheres que giram em torno do Senhor. Onde busca a força e a psicologia necessária para manter essa harmonia?
A mente humana é um parque de diversões sem luz. Brincar ai pode ser muito perigoso se não se conhece bem o terreno.
Como conduzir de forma assertiva sem fazer mal a ninguém, sem ferir, ou causar ressentimentos ou mágoas irreversíveis nestas submissas que o tem como o centro de seu mundo?
Não sei se posso dizer que mantenho a harmonia. É natural que num grupo onde em média se tem 7 ou 8 pessoas exista uma empatia entre algumas, assim como uma antipatia entre outras. Afinal é assim que a vida funciona, agora uma coisa eu exijo de todas: respeito
Cada uma delas tem as suas dificuldades. O que é muito simples para uma, como dançar em público, por exemplo; pode ser um limite para outras que não conseguem dançar nem para mim apenas. 
Cada uma delas tem suas qualidades e habilidades faço questão de reforçar sempre que posso, assim como estou sempre atento aos pontos onde elas podem melhorar. 
Então procuro conduzi-las de uma forma que o Reino seja um lugar que acrescente a vida de todas, que elas possam olhar para trás e dizer, nossa como eu cresci, como eu me superei. 
Agora, algumas vezes, as coisas acabam não dando certo. As relações que começaram bem acabam tomando rumos diferentes do que gostaríamos e é inevitável que os dois lados acabem saindo machucados. 
Felizmente, isto aconteceu muito poucas vezes nestes Dez anos do Reino de K@. Tirando uma meia dúzia de relações que acabaram em uma via torta, no restante, eu tenho muito orgulho de poder manter a amizade com minhas ex-escravas. Com algumas temos mais contato, com outras falamos menos, mas sempre que isto acontece o karinho e o respeito são a marca registrada. 
Sempre digo a todas: não dar certo a nossa relação D/s não quer dizer que elas não sejam submissas, quer dizer apenas que nossas fantasias não eram compatíveis, que nossos desejos eram diferentes. Acredito que toda vez que uma relação é construída baseada na transparência e de uma forma madura, tudo fica muito mais fácil, principalmente, quando algo não dá certo!


O futuro – 
O que ainda esta por vir? Quais as fantasias que busca realizar?
No campo pessoal, espero poder viver muitas coisas ainda. Recentemente, comecei a namorar uma de minhas escravas, a klara. Nossa relação D/s começou há mais de cinco anos e este meu novo momento, tenho a certeza, vai me permitir acrescentar muitas situações novas à minha fantasia. 
Olhando para o BDSM, minhas expectativas são de poder continuar ajudando as pessoas a entenderem e viverem suas fantasias de uma forma segura e saudável. Espero poder continuar desenvolver cada vez mais a ideia deste lugar imaginário, que criei para dar forma a minha fantasia, chamado Reino de K@.




Muito, muito, muito Obrigada Mestre K@ ! 
Beijos e abraços carinhosos para todo o Reino de K@.



Reino de K@









terça-feira, 14 de maio de 2013

Carvão


Carvão
Ana Carolina

Surgiu como um clarão
Um raio me cortando a escuridão
E veio me puxando pela mão
Por onde não imaginei seguir
Me fez sentir tão bem, como ninguém
E eu fui me enganando sem sentir
E fui abrindo portas sem sair
Sonhando às cegas, sem dormir
Não sei quem é você

O amor em seu carvão
Foi me queimando em brasa num colchão
E me partiu em tantas pelo chão
Me colocou diante de um leão
O amor me consumiu, depois sumiu
E eu até perguntei, mas ninguém viu
E fui fechando o rosto sem sentir
E mesmo atenta, sem me distrair
Não sei quem é você

No espelho da ilusão
Se retocou pra outra traição
Tentou abrir as flores do perdão
Mas bati minha raiva no portão
E não mais me procure sem razão
Me deixa aqui e solta a minha mão
Eu fui fechando o tempo, sem chover
Fui fechando os meus olhos, pra esquecer
Quem é você?
Quem é você?
Quem é você?
Você...


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Essa katy.


Me disseram um dia: Hoje a noite conversamos e você me diz o que pensa sobre o BDSM e o que é pra você uma ralação D/s. Não me lembro exatamente se foram essas as palavras, mas no geral foi isso. Não tive oportunidade de responder, não teve um "hoje a noite"  ... péssimo isso.
Falo aqui então.


Eu fico muito confusa com definições. Com rótulos, títulos.. Mas como já disse em outros textos este tipo de relação me atrai desde o princípio por ser uma entrega total, “sem censuras”, por ser enlaçada pelo peso da sinceridade e nada mais. Essa é minha base.

Uma relação assim é enriquecedora, e não importa o nome que tenha.. Aqui damos o nome BDSM, mas acho que se comprimirmos tudo que podemos ter dentro dessas letrinhas muita coisa talvez não caiba.
A base mesmo, o ponto inicial e o que me interessa nisso tudo é a transparência, a sinceridade, a cumplicidade. É a mente aberta para todas as possibilidades. Sem receios e palavras medidas.
Se eu acordar amanhã com alguma vontade que não esteja de acordo com “normal” imposto pela sociedade e falar para meu Dono,companheiro, cúmplice, parceiro ou seja lá o que for, quero ter a certeza de que ele vai pensar, vai se interessar vai tentar entender junto comigo. E não me julgar, torcer o nariz, se assustar ou algo assim. Da mesma forma como eu receberei da melhor forma toda novidade trazida por Ele. 
Certo. A base esta ai.
O tempero, o recheio são as 4 letrinhas. São algumas das inúmeras coisas que me levam ao êxtase. Diminuir a distância entre a dor e o prazer, entre a humilhação e o autoconhecimento, ser imobilizada para ficar totalmente entregue, conhecer meus limites. Ai estão as 4 letrinhas que acabam concentrando algumas das diversas formas de prazer. Essas 4 letrinhas acabaram aproximando pessoas com diversas outras letrinhas em mente. Mas de uma forma ou de outra juntou mentes abertas para tudo, pessoas interessantes, criativas, alegres, que são o que são sem máscaras e limitações.
Pronto. O recheio esta ai.
Agora a cerejinha do bolo.. a relação D/s, minha parte favorita.
Abrir mão das suas decisões. Ter o acompanhamento de alguém que, te vendo de fora, com firmeza, com sabedoria, com propriedade, paciência e amabilidade,  consegue te conduzir.
Deixar seu corpo e sua mente nas mão de um Mestre. Se sentir segura, valorizada, inteira.. tudo para ele e por ele. Cada passo, cada pensamento e cada ação dedicada a alguém que tem o poder de te fazer melhor e mais plena, te levando a grandeza e ao prazer absoluto. E, por Ele, ser cada vez mais e melhor. Maior e mais brilhante. Tendo como objetivo único saciar todos os seus desejos, cumprir todas as tarefas, ter como fonte de alegria a realização das vontades do seu Dono. Sejam elas quais e quantas forem.  Da forma que for, no tempo que for. Na posição, no momento, no lugar que Ele decidir.


Então eu sou uma BDSMer? Não posso dizer que sou, ou que isso exista.. achei aqui meus amigos, meu lugar, com interesses similares, com mentes amplas, sem barreiras para pensar, desejar, querer.. Me fiz aqui, criei com todo amor e sinceridade essa katy, essa esmeralda muitas vezes reativa, que ganhou tantos elogios, tantos mimos, tantas pessoas queridas e amadas...

Então, sou uma submissa?!?!  Quando tiver meu Dono, serei o que Ele quiser, como, quando, e sempre e tudo o que Ele e só Ele quiser.









A MÁSCARA


A MÁSCARA

A Ernest Cristophe, estatuário

Contempla esse perfil de graças florentinas;
Na sóbria ondulação do corpo musculoso
Excedem Força e Proporção, irmãs divinas.
Essa mulher, fração de um ser miraculoso,
Divinamente forte, amavelmente pobre,
Criada foi para no leito arder em gozo,
Saciando os ócios de um pontífice ou de um nobre.

- Repara-lhe o sorriso fino e voluptuoso
onde a vaidade aflora e em êxtase perdura;
Esse lânguido olhar oblíquo e desdenhoso,
Esse rosto sutil, na gaze da moldura,

Cujos traços nos dizem com ar vitorioso:
"A Volúpia me chama e o Amor cinge-me a testa!"
Ao ser que esplende assim com lúbrica realeza
Vê que encanto febril a formosura empresta!
Chega mais próximo e circunda-lhe a beleza.

Ó que blasfêmia da arte! Ó que assombro fatal!
A divina mulher, que ao prazer nos enlaça,
Lá no alto se transmuda em monstro bifrontal!

- Não! É uma máscara, uma sórdida trapaça,
Essa face torcida e de esquisito aspecto,
E, repara, também crispada ferozmente,
A cabeça concreta, o rosto circunspecto
Oculto por detrás do semblante que mente.
Ó mísera beleza! O magnífico rio
De teu pranto deságua ao pá de meus abrolhos;
Teu embuste me embriaga, e minha alma sacio
Nessas ondas que a Dor faz jorrar de teus olhos!

Mas por que chora enfim a beleza absoluta
Que a seus pés tem o ser humano submetido,
Que misterioso mal lhe rói o flanco em luta?

- Ela chora, insensata, por haver vivido!
E por viver ainda! E o que ela mais deplora,
O que a faz ajoelhar-se em frêmito feroz,
É que amanhã há de estar viva como agora!
Amanhã e depois e sempre! - como nós!

(Charles Baudelaire)