segunda-feira, 6 de maio de 2013

Essa katy.


Me disseram um dia: Hoje a noite conversamos e você me diz o que pensa sobre o BDSM e o que é pra você uma ralação D/s. Não me lembro exatamente se foram essas as palavras, mas no geral foi isso. Não tive oportunidade de responder, não teve um "hoje a noite"  ... péssimo isso.
Falo aqui então.


Eu fico muito confusa com definições. Com rótulos, títulos.. Mas como já disse em outros textos este tipo de relação me atrai desde o princípio por ser uma entrega total, “sem censuras”, por ser enlaçada pelo peso da sinceridade e nada mais. Essa é minha base.

Uma relação assim é enriquecedora, e não importa o nome que tenha.. Aqui damos o nome BDSM, mas acho que se comprimirmos tudo que podemos ter dentro dessas letrinhas muita coisa talvez não caiba.
A base mesmo, o ponto inicial e o que me interessa nisso tudo é a transparência, a sinceridade, a cumplicidade. É a mente aberta para todas as possibilidades. Sem receios e palavras medidas.
Se eu acordar amanhã com alguma vontade que não esteja de acordo com “normal” imposto pela sociedade e falar para meu Dono,companheiro, cúmplice, parceiro ou seja lá o que for, quero ter a certeza de que ele vai pensar, vai se interessar vai tentar entender junto comigo. E não me julgar, torcer o nariz, se assustar ou algo assim. Da mesma forma como eu receberei da melhor forma toda novidade trazida por Ele. 
Certo. A base esta ai.
O tempero, o recheio são as 4 letrinhas. São algumas das inúmeras coisas que me levam ao êxtase. Diminuir a distância entre a dor e o prazer, entre a humilhação e o autoconhecimento, ser imobilizada para ficar totalmente entregue, conhecer meus limites. Ai estão as 4 letrinhas que acabam concentrando algumas das diversas formas de prazer. Essas 4 letrinhas acabaram aproximando pessoas com diversas outras letrinhas em mente. Mas de uma forma ou de outra juntou mentes abertas para tudo, pessoas interessantes, criativas, alegres, que são o que são sem máscaras e limitações.
Pronto. O recheio esta ai.
Agora a cerejinha do bolo.. a relação D/s, minha parte favorita.
Abrir mão das suas decisões. Ter o acompanhamento de alguém que, te vendo de fora, com firmeza, com sabedoria, com propriedade, paciência e amabilidade,  consegue te conduzir.
Deixar seu corpo e sua mente nas mão de um Mestre. Se sentir segura, valorizada, inteira.. tudo para ele e por ele. Cada passo, cada pensamento e cada ação dedicada a alguém que tem o poder de te fazer melhor e mais plena, te levando a grandeza e ao prazer absoluto. E, por Ele, ser cada vez mais e melhor. Maior e mais brilhante. Tendo como objetivo único saciar todos os seus desejos, cumprir todas as tarefas, ter como fonte de alegria a realização das vontades do seu Dono. Sejam elas quais e quantas forem.  Da forma que for, no tempo que for. Na posição, no momento, no lugar que Ele decidir.


Então eu sou uma BDSMer? Não posso dizer que sou, ou que isso exista.. achei aqui meus amigos, meu lugar, com interesses similares, com mentes amplas, sem barreiras para pensar, desejar, querer.. Me fiz aqui, criei com todo amor e sinceridade essa katy, essa esmeralda muitas vezes reativa, que ganhou tantos elogios, tantos mimos, tantas pessoas queridas e amadas...

Então, sou uma submissa?!?!  Quando tiver meu Dono, serei o que Ele quiser, como, quando, e sempre e tudo o que Ele e só Ele quiser.









4 comentários:

  1. Oi Katy, estava com saudades de você. Queria poder ser eu o seu mentor, mas parece que o que procura vai além do envolvimento dom/sub e infelizmente isto, isto não posso dar.

    Desde o dia que te encontrei e a ouvi, tive certeza de que tem um potencial enorme para ser uma sub leal e dedicada ao seu Dom.Sua convicção e vontade de servir me fazem ter esta certeza.

    Espero que encontre o Dom que procura e que mereça uma serva tão dedicada quanto acho que é.

    Um abraço e boa sorte Katy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Dom Fábio! Vou achar isso tudo sim e espero que logo rsrs

      Excluir
  2. Perfeita quando vc diz:
    A base mesmo, o ponto inicial e o que me interessa nisso tudo é a transparência, a sinceridade, a cumplicidade. É a mente aberta para todas as possibilidades. Sem receios e palavras medidas.
    Também concordo com vc quando se diz confusa com tantas definições... com rótulos... títulos...
    Muitos existem por aí se dizendo litúrgicos... que pode isso mas não pode aquilo... etc etc... mas nunca sequer vivenciaram uma relação D/s ou tiveram uma sub ou escrava, bem como subs que sequer tiveram Donos...

    ResponderExcluir
  3. Sr. Rodrigo, é uma honra e privilégio tê-lo nesse meu cantinho. Muito obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir